5 doenças que podem ser diagnosticadas com exame de sangue

5 doenças que podem ser diagnosticadas com exame de sangue

Ele já faz parte há muito tempo do tradicional check-up que precisamos fazer regularmente para manter a saúde em dia. Agora, quem diria que um simples exame de sangue seria capaz de diagnosticar tantas doenças, não é? É a partir dele que temos a chance de tratar sérias complicações com antecedência, o que contribui e muito para a cura. Pensando nisso, nós, do Hospital Santa Júlia, elaboramos uma lista com as principais doenças que podem ser identificadas com esse pequeno cuidado que faz uma grande diferença. Podemos continuar?

1. HIV

O acompanhamento dos casos confirmados de HIV acontece por meio da coleta de sangue e de outros fluidos corporais como a saliva do paciente. Esse rastreamento contribui para que o especialista prescreva o melhor tratamento para a pessoa infectada a fim de impedir uma manifestação grave da doença.

É bom lembrar que ter o vírus HIV não significa ter AIDS, mas vale ressaltar que o primeiro problema causa o segundo, que ataca o sistema imunológico da pessoa, provocando sintomas como febre, mal-estar, manchas vermelhas pelo corpo, dor de garganta e dor de cabeça.

Complemente a sua leitura:
Como as consultas periódicas podem evitar doenças?

2. Doenças renais

Exames de sangue podem diagnosticar doenças nos rins.

Níveis altos de creatinina no sangue significam que o rim está cada vez menos eficiente, o que favorece o aparecimento de problemas como os cálculos renais (a famosa pedra nos rins), os tumores no rim e a insuficiência renal. Pacientes que sofrem de hipertensão e diabetes têm maior probabilidade para desenvolver lesões nos órgãos.

3. Hepatite C

A doença que pode ser transmitida por meio de transfusão de sangue contaminado, sexo sem proteção e compartilhamento de materiais perfurantes infectados costuma ser silenciosa e fatal. Caracterizada pela inflamação do fígado, ela não apresenta muitos sinais de que a saúde anda mal e isso ocorre por um período de 20 a 30 anos, quando finalmente a Hepatite C implica no surgimento do câncer de fígado e da cirrose.

Na fase crônica da doença, é comum sentir dor e inchaço abdominal, sangramento no esôfago ou no estômago, fadiga, febre, coceira e perda de apetite.

Você deveria ler também:
Descubra como você pode prevenir as doenças de pele
Os principais mitos e verdades sobre a esclerose múltipla

4. Câncer de Próstata

A importância do exame de sangue se dá pelo diagnóstico, inclusive, de doenças graves.

A partir da análise do hormônio PSA, cujos valores normais ficam abaixo de 4 ng/ml, é possível verificar a presença de inflamações na próstata ou o surgimento do tumor que atinge a região. Os sintomas podem ser os mais variados e vão desde a dificuldade para urinar à presença de sangue no sêmen.

Vale complementar que somente o exame de PSA não oferece um diagnóstico definitivo porque nem sempre altas dosagens do hormônio significam mesmo a presença de um câncer. É importante fazer em conjunto o exame do toque que dá chance ao médico de descobrir demais complicações como a hiperplasia prostática benigna, comumente chamada de próstata aumentada.

5. Colesterol alto

Intimamente ligado às doenças do coração, o colesterol alto pode ser entendido como uma condição em que o organismo apresenta níveis elevados de LDL, conhecido como o “colesterol ruim”. O excesso de gordura no sangue faz com que os vasos sanguíneos fiquem entupidos, gerando doenças como a aterosclerose e o infarto. Fatores de risco como a diabetes, os maus hábitos alimentares, o tabagismo e o histórico familiar facilitam o aumento dessa gordura no sangue.

Gostou do conteúdo? Então leia também nosso post com 5 dicas simples para prevenir as doenças do coração.

Deixe uma resposta

seu e-mail não será publicado.