Como as consultas periódicas podem evitar doenças?

Como as consultas periódicas podem evitar doenças?

Acredite: tem muita gente por aí que não gosta de passar perto do consultório, mesmo sabendo da importância de marcar consultas periódicas para checar como anda a saúde. A falta de informação ainda é um grande problema que atrapalha bastante o papel da prevenção. E os riscos não poderiam ser piores, pois eles vão desde uma simples inflamação a uma doença grave com consequências bem sérias para o corpo.

Por isso, nesta matéria, nós, do Hospital Santa Júlia, reunimos mais detalhes sobre o assunto para que você, leitor, saiba exatamente o que fazer para se proteger. Podemos continuar?

Por que se consultar com o médico regularmente?

Consultar um especialista com regularidade pode melhorar a sua saúde.

Na contramão de como muitos pensam, não é somente nos momentos de emergência que as pessoas deveriam procurar o médico, isso porque contar com uma ajuda profissional é indispensável para conhecer as próximas etapas de um tratamento que está em andamento, descobrir se o corpo está respondendo aos efeitos da terapia que foi prescrita, receber as orientações necessárias para tomar os medicamentos da maneira correta, entre outros.

O especialista é importante também para requisitar exames fundamentais como o de sangue, o de fezes e o de urina que detectam diversas complicações como a anemia e o colesterol alto.

Quais são as principais doenças que podem ser prevenidas?

Na lista de patologias que as consultas periódicas conseguem identificar por meio de exames específicos e o conhecimento do médico para interpretar os resultados dos testes, destacamos a(s)/o:

– Diabetes;
– Hipertensão arterial;
– Hipoglicemia;
– Câncer de pele;
– Doenças sexualmente transmissíveis como HIV e hepatite B;
– Aneurisma cerebral;
– Doenças do coração.

Qual é a frequência ideal para agendar uma consulta?

A resposta varia de acordo com a especialidade e o seu quadro de saúde. Por exemplo: enquanto com um oftalmologista, ir 1 vez a cada ano (pode aumentar para três vezes, dependendo das condições do paciente) já é suficiente, com um cardiologista, esse intervalo é de 6 em 6 meses. Porém, mais uma vez ressaltamos: tudo vai depender de como você vai estar.

O correto mesmo é visitar sempre que puder um clínico geral para que ele possa entender melhor o seu caso, e, se for preciso, encaminhar você para o especialista apropriado.

Matérias importantes para você ler:
Aqui estão alguns alimentos que fazem mal para o seu coração
Descubra como você pode prevenir as doenças de pele

Veja alguns hábitos que facilitam as consultas periódicas

Colaborar para que as consultas se deem da melhor forma é papel do paciente.

Antes e durante a conversa com o especialista, é bom se preparar para aproveitar o máximo que puder da consulta. Por isso:

– Agende a sua visita ao médico com antecedência;

– Chegue ao consultório antes do horário marcado;

– Leve os exames e diagnósticos anteriores;

– Informe os medicamentos que você toma;

– Explique o seu histórico familiar de doenças;

– NUNCA saia do consultório com dúvidas.

Evite a automedicação

Nós sabemos que você, talvez, já tenha escutado isso várias vezes, mas não custa reforçar a mensagem: tomar qualquer medicamento sem a prescrição de um médico pode agravar os sintomas da doença e causar até mesmo a morte do paciente. Em vez de arriscar a própria vida, o doente deve procurar um especialista para que ele avalie as possíveis causas e soluções para o problema.

Ficamos muito felizes por você ter chegado até aqui. Temos certeza de que com essas informações ficou muito mais fácil se cuidar do jeito certo. Agora, enriqueça os seus conhecimentos e leia nosso post sobre estas 5 doenças que podem ser diagnosticadas com exame de sangue.

Leave a Reply

Your email address will not be published.