A pandemia sem sombra de dúvidas deixou muitas sequelas para a população. Não só para aqueles familiares que perderam seus entes queridos, mas também para as pessoas que a contraíram, é possível sentir alguns sintomas até hoje.

Cada indivíduo tem o organismo reagindo de uma maneira, por isso alguns se sentem mais fragilizados que outros. Pessoas em grupos de risco apresentam problemas ainda maiores em relação às sequelas que a covid deixou.

Muita gente pode não saber ou não deve nem desconfiar sobre o assunto. Por essa razão, separamos este conteúdo para que você possa identificar se ficou com alguma sequela.

Quais são as sequelas do Covid-19?

O paciente que recebeu alta depois da Covid recebe junto um sopro de esperança. Isso porque a doença conseguiu tirar a vida de milhares de brasileiros e estar vivo depois de passar por ela pode ser considerado um milagre.

Desde que a pandemia começou, o Covid é um assunto que traz um certo tipo de medo. Principalmente porque nunca se sabe como o corpo pode reagir. A vacina trouxe um pouco de alívio, mas ainda assim é preciso que se tenha cuidado.

Ainda que milhões de pessoas se sintam bem mesmo depois de terem adquirido a doença, é possível ver um número de pessoas que ainda sofrem com as sequelas deixadas pela pandemia.

A principal sequela tem ligação com fatores respiratórios, visto que a doença ataca diretamente essa parte. Alguns estudos que foram feitos ao longo do tempo mostraram que cerca de 80% dos pacientes de covid apresentaram algum tipo de sintoma mesmo 4 meses depois de terem sido infectados.

A vacina trouxe um pouco de alívio, mas ainda assim é preciso que se tenha cuidado.

Quais são as sequelas mais comuns?

Dentre as sequelas que mais se tornaram comuns depois da covid, podemos notar as seguintes dentre os pacientes que ficaram mais gravemente afetados:

Dentre as complicações mais graves, damos destaque a fibrose, o agravamento de doenças que já existiam, ansiedade e depressão. Outros tipos de sintomas menos comuns mas que podem ocorrer são:

O que fazer para evitar sequelas do covid-19?

Depois que o paciente tem alta médica, se engana quem pensa que ele voltará a sua vida normal de forma plena. O paciente ainda sai muito debilitado, desnutrido, com fadigas, perda de força nos músculos e precisa ainda de muito tempo de recuperação e cuidados.

Sendo assim, as funcionalidades do paciente acabam sendo bem limitadas. Além do mais, há também sequelas psicológicas que comprometem bastante a recuperação daquele indivíduo.

O covid libera uma série de substâncias que vão atacando diversos órgãos, o que acaba dificultando a recuperação da pessoa. Se não houver um cuidado mais intenso, essas sequelas podem permanecer por muito mais tempo, comprometendo ainda mais a vida desse paciente e seu dia a dia.

É fundamental então que dentro desse período de pelo menos três meses pós alta, o paciente continue fazendo exames e procurando atividades para se reabilitar de forma correta.

Fazer exames completos de tempos em tempos é fundamental para acompanhar se houve uma sequela em outras partes do corpo ou se a região acometida pela doença desenvolveu algum tipo de problema mais grave.

É crucial também que haja todo o protocolo de higienização e distanciamento social para evitar que o paciente adquira novamente a doença ou então outros tipos de infecções espalhadas pelo ar.

Fisioterapia costuma ajudar bastante na recuperação do corpo, assim como exercícios para a memória e concentração. É vital se manter de olho principalmente no possível agravamento de pulmão e rins.

A mobilidade e a circulação também são pontos que exigem muitos cuidados. Então é preciso dar uma ênfase ainda maior para que se possa ter uma recuperação satisfatória.

Após a alta, o paciente pode sentir sintomas leves ainda depois de nove meses.

Quanto tempo permanece a sequela da Covid-19?

Após a alta, o paciente pode sentir sintomas leves ainda depois de nove meses. A fadiga, o olfato e o paladar são um dos sintomas leves que mais se prolongam e podem ser vistos durante o processo de recuperação.

O tempo vai depender do organismo da pessoa e do quanto ela foi afetada pela doença. Quem teve sintomas mais fortes provavelmente levou mais tempo para que pudesse se recuperar totalmente.

Esses são os casos que os sintomas de sequela podem ser vistos em até nove meses depois da alta. Em casos onde a covid foi menos grave, as sequelas podem ser sentidas em até cinco meses após alta.

No entanto, é fundamental que ainda que não exista nenhuma manifestação clínica de alteração, que os indivíduos que tiveram covid fiquem atentos à sua saúde depois de alguns anos.

Os cientistas continuam investigando as possíveis sequelas permanentes que o covid deixou. Porém, grande parte dos quadros que podem ser vistos hoje em dia podem ser solucionados por meio de ajuda médica.

Os pacientes que se recuperaram da doença devem se manter atentos às condições gerais que a sua saúde está. Os incômodos e os sintomas mais intensos e prolongados devem exigir investigação médica.

A dificuldade cognitiva e confusão mental é uma das sequelas que a pandemia deixou para muitas pessoas. Por essa razão, exames neurológicos também devem estar no topo de preocupação dos pacientes em recuperação.

Ao menor sinal dessas sequelas, é muito importante procurar ajuda médica para que isso não se desenvolva para um quadro ainda pior.

Conclusão

Por fim, vimos aqui um pouco sobre as possíveis sequelas que a covid pode deixar para quem a adquire, e a importância que se tem sobre investigar a fundo qualquer sinal diferente que possa ter se manifestado.

Além disso, a realização de exames é um fator fundamental mesmo após a alta do paciente para que sua recuperação por completo possa ser concluída.

Conte aqui se você foi vítima da pandemia e sente algumas dessas sequelas. Compartilhe também com outras pessoas.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.