Você sabia que existem diversos fatores de risco do câncer de mama que podem aparecer e que a maioria das mulheres desconhecem?

Pois é, o câncer de mama é uma das doenças mais perigosas que existem e, se não tratado da maneira devida, possui alta taxa de mortalidade.

Ao contrário de outros tipos de tumores que se relacionam geralmente por uma causa, por exemplo, o câncer de pulmão é provocado na maior parte das vezes pelo fumo, o câncer de mama não possui fatores isolados que expliquem seu aparecimento.

No entanto, ainda assim há vários pontos que fazem com que essa doença tenha um risco maior. Se você quer saber quais são eles, continue lendo.

Quais são os fatores de risco do câncer de mama?

O mês de Outubro chegou e com ele algo muito importante aparece, que é a conscientização do movimento Outubro Rosa.

Essa iniciativa foi criada nos anos 90 para que pudesse trazer à tona a importância de realizar um diagnóstico precoce para que as chances de cura fossem maiores.

Dentre as mulheres, esse é o tipo de tumor mais comum em todo o mundo. Aqui no Brasil, cerca de 25% do total de novos casos de câncer estão ligados ao tumor nas mamas.

Apesar de ser um número menor, alguns homens também desenvolvem a doença. Cerca de 1% do total de casos da doença. O câncer de mama surge por conta das alterações genéticas ligadas à biologia celular.

Podem ser estimuladas também por conta de fatores externos como tabagismo, uso de hormônio, obesidade, dentre outros fatores. Acaba sendo muito comum também nas mulheres que começaram a menstruar muito cedo.

Algo em torno de 5 a 10% dos casos de tumor acontecem por conta de mutações genéticas que são encontradas nos grupos familiares.

Por isso que pessoas que têm casos na família de mulheres que já tiveram câncer de mama devem ter uma atenção especial na hora de investigar a presença da doença, pois essa investigação deve começar cedo.

Veja abaixo alguns fatores de risco que talvez você não saiba que contribuem para o aparecimento da doença:

1. Alcoolismo

O consumo de álcool é um dos fatores de risco do câncer de mama. Isso porque ele aumenta a chance de desenvolver a doença, principalmente a partir do momento que a pessoa consome muito a bebida.

2. Obesidade

Quando uma mulher está acima do seu peso, principalmente depois de ter ocorrido a menopausa, os riscos de câncer de mama acabam sendo maiores.

A ligação que envolve o peso e o risco da doença é algo mais complexo. Por exemplo, mulheres que ganharam peso depois da idade adulta desenvolvem maiores chances de gerar um câncer de mama.

3. Não ter engravidado

As mulheres que não tiveram ou tiveram filhos depois dos 30, possuem maiores fatores de risco do câncer de mama. Portanto, mulheres com mais filhos têm chances reduzidas.

Mas isso não é uma regra visto que a gravidez é diferente em cada pessoa e em outros tipos de câncer de mama. Por exemplo, aumenta-se o risco nos primeiros 10 anos após o nascimento do filho.

4. Controle de natalidade com injeção e anticoncepcionais

O uso regular de pílulas aumentam o risco de câncer de mama em relação a mulheres que nunca fizeram uso deste método. Se interrompido o uso, a taxa de risco é normal.

Em relação a esse controle feito por meio de injeção, alguns estudos mostram que há um aumento do risco de câncer de mama. Portanto, as mulheres que fazem uso de anticoncepcional devem estar atentas aos efeitos colaterais proporcionados.

5. Implante mamário

Ainda não possuem nenhum tipo de comprovação no aumento do risco dos tipos mais frequentes de câncer de mama. Porém, tiveram uma associação com um dos tipos raros de linfomas.

Eles podem se formar ao redor do tecido cicatricial que fica ao redor do implante. Algo perigoso com o passar do tempo e que pode gerar consequências para o corpo.

Como prevenir os fatores de risco do câncer de mama?

descubra quais os exames preventivos essenciais para não ter surpresas desagradáveis

Não há um método que faça com que você consiga se prevenir de modo absoluto. O principal conselho para mulher é que ela faça autoexames e também realize a mamografia pelo menos uma vez ao ano.

Principalmente em casos de parentes que tenham um histórico da doença, esse acompanhamento deve ser ainda mais cauteloso.

Os exames são fundamentais para que se consiga encontrar algum nódulo com potencial de se tornar maligno para que ele seja averiguado e tratado o quanto antes.

Fora os exames, algo que se pode fazer para ajudar o corpo a se manter saudável é sair da vida de sedentarismo e realizar exercícios.

Outro ponto é investir no tratamento de reposição hormonal depois da menopausa. Visto que os riscos podem aumentar depois dessa época, a terapia hormonal tem sido uma saída para evitar o desequilíbrio.

Isso porque o estrogênio sozinho pode fazer com que o risco do câncer de colo do útero aumente, assim como em outras partes do corpo.

A terapia hormonal combinada deve ser observada pois depois de 4 anos de uso, ela também pode gerar um certo tipo de risco. Então é preciso que se tenha cautela.

Quais sintomas do câncer de mama?

Dentre os sintomas mais comuns, estão o aparecimento de nódulos duros e irregulares. Por isso que o autoexame pode ajudar a identificar a doença logo de início.

Outros sinais que podem ajudar na observação e precisam ser avaliados pelo médico são:

Conclusão

Vimos aqui então quais são os fatores de risco do câncer de mama e o que observar para evitar que esse tipo de doença apareça ou seja tratada com eficiência.

Se você está com alguma suspeita de nódulo, procure um médico para que ele possa fazer a avaliação. O hospital Santa Júlia tem o melhor centro oncológico do Amazonas caso você precise de um tratamento direto.

Esperamos que este conteúdo tenha lhe ajudado. Compartilhe-o com mais pessoas

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.